//SEMANA 2

IGOT - Instituto de Geografia e Ordenamento do Território

Descobrir e Planear o Território

O Instituto de Geografia e Ordenamento do Território (IGOT) preparará uma semana muito especial com o objetivo de ensinar quais os métodos e técnicas usadas na geografia urbana.

Ao longo da semana vamos Descobrir e planear o Território. As atividades vão envolver essencialmente 3 tópicos: planeamento de emergência, climatologia e técnicas de levantamento cartográfico.

VAGAS: 20
AÇÕES:
  • Planeamento de emergência

    Nesta atividade vamos explicar que as boas práticas em proteção civil envolvem o próprio cidadão. Por isso vamos explicar a necessidade de termos um plano de emergência operacional e ensinar a elaborar um plano de emergência familiar.
    Coordenação: Ângela Santos e Cláudia Reis

  • Como elaborar um kit de emergência

    Nesta atividade vamos explicar o que é o kit de emergência, para que serve e o que deve conter.
    Coordenação: Ângela Santos e Cláudia Reis

  • Simulacro de sismo

    Nesta atividade vamos por em prática o que os alunos aprenderam nas atividades anteriores. Vamos testar o plano de emergência através de um simulacro de sismo. A utilidade do kit de emergência também vai ser testada.
    Coordenação: Ângela Santos e Cláudia Reis

  • Monitorização e modelação do clima urbano

    Esta atividade basear-se-á numa apresentação inicial de vários instrumentos utilizados na monitorização do clima urbano, entre eles: termo-higrómetros, anemómetros, radiómetros (piranómetros e pirgeómetros), câmara térmica, “pistola” de infravermelhos e armazenamento da informação (data loggers). No percurso os participantes poderão observar uma estação meteorológica automática no edifício do IGOT. Os participantes realizarão vários percursos no campus da Cidade Universitária e procederão à recolha de dados climáticos em vários tipos de superfícies (calçada, jardim, betão, asfalto, etc.). No laboratório tentarão correlacionar os valores obtidos com o tipo de superfície e concluir sobre os mais adequados para combater o efeito do aquecimento global que também se tem observado na cidade de Lisboa.
    Durante a tarde, os alunos irão realizar uma atividade de geocomputação (Salas de SIG – IGOT) com a suporte de dois softwares (o ArcMap e Envi-Met), que completarão a aprendizagem da primeira parte do dia dedicada à recolha de dados climáticos. A atividade desenvolve-se em duas partes: 1) Com os dados recolhidos modelam a distribuição da temperatura no ambiente urbano de estudo; 2) com o software Envimet (que tem uma lógica em tudo semelhante ao jogo SimCity), simulam o ambiente urbano em torno do IGOT, de acordo com as projeções futuras do clima previstas para Lisboa no final do século XXI.
    Coordenação: António Lopes, Cláudia Reis e Márcia Matias

  • Técnicas de levantamento cartográfico para produção de mapas colaborativos

    Com o desenvolvimento da tecnologia e da Internet, todos nós, no dia-a-dia, mesmo sem nos apercebermos, produzimos e partilhamos conteúdos geográficos, ou seja, todos nós somos produtores de Informação Geográfica Voluntária (IGV ou VGI - volunteered geographic information). Esta atividade tem como objetivo recolher informação georreferenciada (através de aplicação de telemóvel) de pontos de interesse ao longo de um pequeno trajeto que percorre a estrutura ecológica municipal de Lisboa. Focaremos questões como o planeamento municipal e a sustentabilidade urbana, assim como a adaptação das cidades às alterações climáticas.
    Coordenação: Patrícia Abrantes e Inês Girão

  • VGI e Elaboração de mapas colaborativos.

    Vamos explicar e explorar o papel da Informação Geográfica Voluntária (IGV ou VGI - volunteered geographic information) enquanto técnica de levantamento, produção e partilha de mapas, discutindo as suas potencialidades, mas também os seus riscos e limitações.
    O objetivo final é produzir o nosso mapa, sobrepô-lo com a informação institucional municipal e e partilhar conteúdos em plataformas colaborativas (ex. Open Street Maps), familiarizando-vos com o ambiente SIG, a análise espacial e os princípios da visualização cartográfica.
    Coordenação: Patrícia Abrantes e Inês Girão

  • Debate sobre Montanhas e Sustentabilidade

    Um Portugal mais sustentável já em 2030 é uma aspiração de múltiplas agendas políticas, económicas e ambientais. Contudo, uma boa parte dos recursos para essa transição encontram-se precisamente nos territórios de montanha. Considerados por muitos como realidades remotas, as gentes e os recursos presentes nestes territórios vêm-se repentinamente no centro da atenção. Perspetivam-se por isso intensos conflitos entre desenvolvimento nacional – vontade local – uso sustentável de recursos. A presente sessão pretende descodificar o capital natural e humano presente nos territórios de montanha para debater que modalidades de acesso e uso para uma sustentabilidade ambiental e social na utilização dos recursos nos territórios de montanha. Uma perspetiva do planeta em mudança será privilegiada.
    Coordenação: António Monteiro e Inês Girão

CANDIDATAR


VER SEMANA 1