//SEMANA 2

INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA

ISA Laboratório Vivo

Esta é a nossa proposta para este ano! Entrares num verdadeiro laboratório vivo localizado bem no coração de Lisboa.

Ao longo de uma semana o Instituto Superior de Agronomia (ISA) vai mostrar-te as nossas sete licenciaturas: o que podes aprender em cada uma delas, a investigação e a aplicação prática do nosso conhecimento, as tuas saídas profissionais.
Vais conhecer o nosso Laboratório vivo, o Campus da Tapada, sentir o nosso ambiente académico e realizar inúmeras experiências , sempre acompanhado pelos nossos alunos, professores e investigadores.

Aceita este desafio e junta-te a nós, rumo ao teu FUTURO!

VAGAS 40
AÇÕES:
  • Plant Peddy Paper – Tesouros da flora do campus do ISA

    A Tapada da Ajuda e o seu Parque Botânico oferece a quem os visita uma enorme diversidade de plantas. Vamos percorrer os trilhos da Tapada, ajudados por um Mapa dos Tesouros Florísticos, onde podes conhecer exemplares da nossa flora, desde os "fósseis vivos" do Cretácico a árvores ribeirinhas, plantas invasoras e ornamentais. Terás também oportunidade de conhecer o património histórico e arquitetónico da Tapada e os garranos, cavalos selvagens autóctones da Península Ibérica.
    Coordenação: Francisca Aguiar e Ana Rodrigues

  • Um remédio chamado… salada de frutas!

    O que comemos quando comemos uma salada de frutas? Que valor nutricional tem cada uma das frutas que constitui a salada? Vamos provar diferentes frutas e determinar quais são mais ricas em açúcares, vitaminas e ácidos orgânicos. Nesta atividade, os participantes são convidados a provar diferentes frutas e descobrir o seu valor nutritivo através de experiências muito simples.
    Coordenação: Mariana Mota

  • Alimentos Fermentados: saudáveis e variados

    A fermentação é uma forma ancestral de conservar alimentos, mas produzir alimentos fermentados é muito mais do que só conservar, é também tornar mais nutritivas, mais saudáveis e variar algumas das matérias-primas. Vamos falar dos benefícios que nos trazem os microrganismos quando fermentam e aprender como podemos por estes microrganismos a trabalhar para nós e a produzir alimentos saborosos. E vamos por “as mãos na massa”.
    Coordenação: Catarina Prista e Ana Catarina Costa

  • Reinventar os clássicos: indústria alimentar e os seus desafios

    A indústria alimentar é um dos mais exigentes setores a nível mundial. Lidando diretamente com os desejos e necessidades de consumidores cada vez mais informados, “digitais” e exigentes, a mudança é constante no setor. Esta atividade, inserida no projeto CleanLabel+, tem como objetivo dar a conhecer aos alunos algumas das mais recentes tendências do setor agroalimentar, como o plant-based, a sustentabilidade, o impacto positivo na saúde e o “clean label”, focando-se na reformulação de produtos alimentares clássicos, mas que por força das tendências de consumo, terão de sofrer alterações profundas.
    Coordenação: Anabela Raymundo, Sara Simões, Claúdia Maia e Maria Vieira

  • Viticultura de precisão

    As alterações climáticas trazem consequências muito importantes para a viticultura. Nesta atividade vamos primeiro falar do impacto das alterações climáticas na vinha e no vinho. De seguida, falaremos de viticultura de precisão e da importância da utilização de tecnologia, como a termografia ou a robótica, para nos ajudar a gerir a vinha de uma forma mais informada. Iremos acompanhar o robô Vinbot na vinha e discutir o interesse deste tipo de robôs em agricultura.
    Coordenação: Miguel Costa e Gonçalo Vitorino

  • Predadores e luta biológica

    A proteção biológica é uma estratégia a privilegiar na proteção das culturas, pois é segura do ponto de vista toxicológico para os agricultores e consumidores e das mais seguras para o ambiente. Os predadores generalistas mirídeos são muito frequentes naturalmente em culturas em estufa e são importantes agentes de proteção biológica neste ecossistema. Vamos ver estes insetos em atividade.
    Coordenação: Elisabete Figueiredo e Rita Morais

  • Os segredos das plantas para se defenderem das alterações Climáticas

    Nesta atividade vamos descobrir os mecanismos que as plantas possuem para responder à seca, calor e outros fatores relacionados com as alterações climáticas.
    Através da observação de diferentes plantas, vamos descobrir a importância das características morfológicas, a relevância dos estomas na gestão da água, e na fotossíntese. Para tal vamos utilizar imagens térmicas, no estudo da regulação dos estomas, quantificar a fotossíntese e caracterizar morfologicamente as folhas.
    Coordenação: Ana Rodrigues e Sofia Cerasoli

  • Insetos em ordem

    Esta actividade é um desafio! E o desafio consiste em propor aos participantes para serem entomologistas e descobrirem qual a ordem a que pertence o inseto que escolheram no início.
    Coordenação: Elsa Borges da Silva e Filipa Maia

  • O que temos debaixo dos nossos pés? Vamos descobrir os solos de Portugal

    Vamos ver a coleção de monólitos (perfis de solo) do ISA, e perceber: como se formam os solos? porque existem diferentes tipos de solos? porque têm os solos cores diferentes? como é constituído um solo?
    Coordenação: Madalena Fonseca, Nuno Cortez e Erica Santos

  • Amostragem de peixes com pesca elétrica

    Nesta actividade vamos conhecer algumas espécies de peixes que vivem na Tapada da Ajuda. Vamos falar sobre a sua biologia e ecologia. Podemos encontrar espécies nativas e exóticas, e falar sobre gestão e conservação da vida selvagem.
    Coordenação: Paulo Branco e José Maria Santos

  • As tartarugas da Tapada: o problema dos animais de estimação

    Nesta atividade vamos montar umas armadilhas para averiguar que espécies de tartarugas de água doce (em Portugal também conhecidas por cagados) existem na Lagoa da pateira da Tapada da Ajuda. Já sabemos que existem pelo menos duas espécies: uma espécie autóctone (o cágado mediterrânico, que existe naturalmente no nosso país) e uma espécie proveniente da América do Norte e que foi comercializada no nosso país como animal de estimação (a tartaruga-de-orelha-vermelha).
    Será que existem mais espécies?
    Coordenação: Pedro Segurado e Gonçalo Duarte

  • Da Semente à Floresta

    No Viveiro Florestal vai ser possível conhecer as diferentes fases e procedimentos que se realizam durante a produção das plantas, desde a semente ou da estaca até estarem bem preparadas para irem para o campo ou para um jardim. No Viveiro, a palavra de ordem vai ser “mãos na terra”!
    Coordenação: Carla Faria e Paulo Forte

  • Socorro... ganhei uma horta! E agora?!

    Tenho uma horta… e agora? Como começar os trabalhos na horta? Que culturas posso instalar de verão? E de inverno? Será que este solo é bom? E devo semear ou transplantar? Como semear?
    Nesta actividade, os participantes são convidados a avaliar através de determinações simples diferentes propriedades do solo da Tapada e a preparar um pequeno viveiro na perspectiva de instalação de uma Horta, assumindo-se como agrónomos a prestar aconselhamento técnico.
    Coordenação: Mariana Mota

CANDIDATAR


VER SEMANA 1